Aniversario do falecimento de João Rodrigues Cabrilho (3 de Janeiro de 2020)

0
67
Dr. João Soares Tavares

                 3 DE JANEIRO DE 2020!

João Soares Tavares

Dia 3 de Janeiro de 2020! Que tem de especial? Para a generalidade das pessoas nada terá. Quem se iria lembrar que há 477 anos, a 3 de Janeiro de 1543 numa ilha do Pacífico o descobridor da Costa da Califórnia terminava os seus dias. Refiro-me obviamente ao barrosão João Rodrigues Cabrilho.

Para os esquecidos recordo: a frota comandada por João Rodrigues Cabrilho iniciou a viagem de descobrimento da Costa da Califórnia em 27 de Junho de 1542. Zarpou de um porto mexicano do Pacífico – Juan Gallego ou Navidad – e atingiu os 40º de latitude norte, mas, Cabrilho não regressou. Quando a tripulação invernava numa ilha do Pacífico denominada Posesión, o comandante morre a 3 de Janeiro de 1543, cerca de 6 meses após o início da viagem.

Fig. 1 – Gravura representando o falecimento de João Rodrigues Cabrilho, in The Western Explorer, Vol. V, nº 2 and 3, Cabrillo Historical Association, San Diego, Califórnia, September, 1968, documento facultado em 1994 pelo Sr. Cônsul de Portugal em San Francisco, U.S.A.

Como causa da morte é referenciada uma fractura num braço resultante da queda que dera nessa mesma ilha quando aí desembarcou pela primeira vez, agravada pelas más condições da viagem. Todavia, aguentou dois meses e meio fisicamente débil, num estado doloroso que se imagina.

Aquela ilha serviu de jazida a Cabrilho. Os companheiros quiseram homenagear o comandante baptizando a ilha com o seu nome:Ilha João Rodrigues”.

Depois, outros homens esqueceram essa decisão. Actualmente designa-se ilha de San Miguel. Em Espanha, – a frota navegava com bandeira espanhola –, a memória dos homens também é curta.

Todavia, nem tudo se perdeu. Há quem recorde Cabrilho. Em 1937, portanto, há 83 anos, um grupo de portugueses e luso-americanos, conseguiu autorização do governo dos Estados Unidos para erguer nessa ilha – presentemente reserva ecológica – uma cruz de pedra em memória do notável descobridor. É um monumento singelo, mas grandioso pelo significado.

Fig. 2 – Cruz de Pedra em homenagem a João Rodrigues Cabrilho na ilha de San Miguel no Pacífico, in João Rodrigues Cabrilho um Homem do Barroso?, de João Soares Tavares, C.M.M., 1998.

Aqui se reproduz na figura 2 para os interessados na História do barrosão descobridor. Ir vê-la na ilha é impossível, ou quase, só mediante uma autorização dos responsáveis pela reserva ecológica.

Honra é merecida ao Estado da Califórnia. Em 1935 instituiu oficialmente o dia 28 de Setembro – em referência ao dia 28 de Setembro de 1542 quando o navegador avistou pela primeira vez a baía que baptizou San Miguel, rebaptizada posteriormente San Diego (outra falha de memória dos espanhóis) – preservando com essa decisão (Resolução nº 15 do Senado, Legislatura da Califórnia, 1935) a data do descobrimento da costa daquele território pelo navegador português. A 28 de Setembro de cada ano é homenageado honrosamente com festividades lúdicas e culturais na cidade de San Diego.

Portugal pouco fez para homenagear o herói navegador. Outra falha de memória.

Para quando a grande homenagem que Portugal deve a João Rodrigues Cabrilho?

Talvez os deuses das montanhas, nomeadamente o deus Larouco que escolheu para sua morada a serra em frente de Montalegre, recordem o notável barrosão e, como já aconteceu em 3 de Janeiro de anos anteriores, envolvam a estátua de Cabrilho edificada na praça principal da vila com um manto de neve, substituindo as rosas brancas que os homens teimam em negar-lhe. 

(João Soares Tavares escreve de acordo com a antiga ortografia)

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here